Sintomas da amaxofobia e como perder o medo de dirigir

Quem nunca sentiu medo de algo? Aquela sensação desconfortável de você querer se esconder ou fugir, muitos, em casos mais graves de medo, experimentam, ainda, suor frio, taquicardia, pernas bambas…

Então, o que muita gente não sabe é que além da fobia por altura, lugar fechado, inseto, também existe o medo de dirigir, chamado de AMAXOFOBIA.

A amaxofobia, que é o medo de dirigir, geralmente, vem acompanhado, além desses sintomas físicos já citados, de imagens catastróficas, de acidentes, você batendo o carro, atropelando pessoas, que de tão intensas são incapacitantes.

Pois bem, mas não se sinta sozinho, pois existem muitas pessoas com esse mesmo medo, que, inclusive, tiraram carteira mas não conseguem dirigir seus carros, ou mesmo, nem conseguir sentar no banco do motorista para treinar, conseguiram. Mas, saiba que isso tem cura, é possível aprender como perder o medo de dirigir, vencer esta fobia.

Claro, é preciso entender que existem vários graus de medo, aqueles mais comuns, próprios da insegurança de tentar algo novo, outros vindos da responsabilidade que a direção representa, em ambos os casos trazendo medo, mas por insegurança.

E existem aqueles graus mais elevados de medo de dirigir, pânico mesmo, de experimentar sensações desagradáveis, tonturas, calafrios, suor, para esse tipo de medo, no entanto, já é indicado um tratamento com psicólogo.

Mas, de uma forma geral, o medo de dirigir pode ser vencido apenas com algumas técnicas que costumam dar muito certo, são elas:

1. Enfrentamento

Não tem como vencer o medo sem enfrentá-lo, e é preciso que isso seja feito aos poucos para não acabar agravando ainda mais o quadro. Treinar é enfrentar, não precisa sair dirigindo a mil por hora, é preciso respeitar seu tempo, ir aos poucos, até ir se sentindo mais seguro e perceber que o bicho não é tão feio quanto parece. Comece entrando no carro, tomando intimidade com cada botão, até ter coragem de ligar, andar um pouco para frente e para trás, sempre com alguém junto até ter coragem e, segurança suficiente, para andar sozinho. Tudo sem pressa, podendo levar dias ou meses, no seu tempo.

2. Respiração diafragmática

Outra técnica é, ao entrar no veículo para dirigir, antes mesmo de ligar o carro ou assim que ligar, praticar a respiração diafragmática. Isso ajuda a reduzir os sintomas de estresse ou medo no seu corpo; reduzindo também o medo na sua mente, pois não podemos esquecer que mente e corpo estão conectados.

3. Educar a mente

É preciso, também, expulsar aqueles pensamentos e julgamentos que surgem o tempo inteiro nos deixando inseguros. É fundamental educar a mente para que pensamentos sabotadores não tomem conta, assim, sempre que surgirem, é preciso expulsá-los, não deixá-los se estabelecerem.

Ninguém nasce sabendo, você só precisa de prática que, dessa forma, tomando os devidos cuidados, nada de mal irá acontecer.

4. Ajuda profissional

Algumas vezes, porém, é preciso recorrer à ajuda profissional para poder vencer o medo, nesse caso, fobia, a amaxofobia. Deixando claro, desde já, que o tratamento psicológico costuma ter bons resultados.

Portanto, já sabe, nada de deixar que o medo lhe impeça de dirigir, só é preciso o primeiro passo!

Tratamento caseiro para acabar com as Varizes

Veio aqui atrás de tratamentos caseiros para acabar com as varizes? Então, está no lugar certo. Confira nesse artigo algumas opções de tratamento para varizes.

Embora seja um problema comum, as varizes, veias dilatadas, geralmente, nas pernas e pés, chegam a atingir cerca de 70% das pessoas com até 70 anos e, muito mais do que apenas prejuízos estéticos, elas podem causar dor, inchaço, desconforto, sendo muitas vezes até necessário se apelar para cirurgia.

Por isso, a dica é procurar ficar atento aos sinais e aprender a cuidar e, até mesmo, evitar essa doença.

Primeiramente, é preciso ter em mente que para diminuir a quantidade de vasinhos nas pernas é fundamental facilitar a passagem do sangue nas veias, dessa forma, impedindo que dilatem e formem varizes.

Um creme para varizes muito eficiente é o Varizero e uma ótima opção de tratamento caseiro para isso é o suco de uva, sim, o suco, já que esta fruta é rica em Resveratrol, que é um componente que facilita a circulação sanguínea no organismo, dessa forma, melhorando o aspeto dos vasinhos.

Outra opção de tratamento é investir em massagens, pois é, massagem nas pernas usando vinagre de maçã puro, já que possui ação anti-inflamatória, aliviando dores e o desconforto das pernas inchadas.

Suco de uva para tratar varizes

Então, sem dúvida, essa dica de tratamento irá agradar a maioria das pessoas, já que não é nenhum sacrifício ter que tomar suco de uva, muito pelo contrário.

E preparar o suco de uva rico em resveratrol é muito simples, só é preciso juntar água e uvas, obedecendo a seguinte proporção:

  • 2 copos de uvas com casca e sementes;
  • 1 copo de água.

Como preparar

Bata os ingredientes no liquidificador, adoce a gosto e beba várias vezes durante o dia.

Vale saber que, no entanto, apesar de ser delicioso e bem fácil de seguir e melhorar o aspeto dos vasinhos, esse tratamento, de forma alguma, exclui a necessidade dos tratamentos médicos para tratar e prevenir varizes.

Lembrando que cada caso é um caso e muitas vezes o que o paciente precisa é de um tratamento à base de remédios como Daflon, Venalot ou Varicell, para melhorar a circulação sanguínea e prevenir o surgimento de varizes.

Portanto, não se automedique e antes de seguir qualquer tratamento, fale antes com seu médico.

Além da uva, existem outros remédios caseiros e naturais que ajudam a tratar as varizes, e um deles é o vinagre de maçã.

Vinagre de Maçã para tratar varizes

Então, um tratamento que costuma ser bem eficaz no combate às dores e desconforto causados pelas varizes é a massagem com vinagre de maçã, que ajuda a reduzir o inchaço e desconforto nas pernas, assim como, a reduzir a inflamação.

Para fazer massagem usando vinagre de maçã, é só colocar cerca de 500 ml de vinagre de maçã dentro de uma bacia, repousando nela os pés e ir massageando as pernas, subindo do calcanhar ao joelho, massageando cada perna no mínimo 5 vezes seguidas.

Vale saber que esse tratamento faz mais efeito com as varizes menores, as chamadas veias varicosas ou simplesmente “vasinhos”,  sendo bem mais fáceis de serem tratadas.

Por outro lado, as varizes mais grossas geralmente, pedem um tratamento mais profissional, podendo ser necessário apelar para alguns remédios de farmácia indicados pelo médico ou, em casos mais graves, a realização de cirurgias.

barriga gordura

A verdade sobre a gordura da barriga

A maneira mais precisa de determinar quanta gordura visceral você tem é fazer uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética . Mas há uma maneira muito mais simples e de baixo custo de verificar.

Pegue uma fita métrica, enrole-a na cintura no umbigo e verifique sua circunferência. Faça isso enquanto estiver em pé e verifique se a fita métrica está nivelada.

Para a sua saúde, você quer que o tamanho da sua cintura seja inferior a 35 polegadas se você for mulher e menos de 40 polegadas se for homem.

Ter uma “forma de pêra” – quadris e coxas maiores – é considerado mais seguro do que uma “forma de maçã”, que descreve uma cintura mais larga.

“O que realmente estamos apontando com a maçã versus a pêra”, diz Hairston, “é que, se você tem mais gordura abdominal, é provavelmente um indicador de que tem mais gordura visceral”.

Pessoas magras também

 

Mesmo se você é magro, ainda pode ter muita gordura visceral.

Quanto você tem é em parte sobre os seus genes e em parte sobre o seu estilo de vida, especialmente o quanto você é ativo.

A gordura visceral gosta de inatividade. Em um estudo, pessoas magras que assistiam suas dietas, mas não se exercitavam, eram mais propensas a ter muita gordura visceral.

A chave é estar ativo, independentemente do tamanho que você é.

4 etapas para bater a gordura da barriga

Existem quatro chaves para controlar a gordura da barriga: exercício, dieta, sono e controle do estresse .

1. Exercício: O exercício vigoroso apara toda a sua gordura, incluindo a gordura visceral.

gordura barriga perigoFaça pelo menos 30 minutos de exercício moderado pelo menos 5 dias por semana. A caminhada conta, desde que seja rápida o suficiente para você suar e respirar com mais força, com a frequência cardíaca mais rápida que o normal.

Para obter os mesmos resultados na metade do tempo, aumente o ritmo e faça exercícios vigorosos – como correr ou caminhar. Você precisaria fazer isso por 20 minutos por dia, 4 dias por semana.

Jog, se você já estiver em forma, ou caminhar rapidamente em uma inclinação em uma esteira, se você não estiver pronto para correr. Exercícios vigorosos em bicicletas ergométricas e máquinas elípticas ou remo também são eficazes, diz Cris Slentz, pesquisadora da Duke.

Atividade moderada – aumentar sua frequência cardíaca por 30 minutos pelo menos três vezes por semana – também ajuda. Retarda a quantidade de gordura visceral que você ganha. Mas para queimar a gordura visceral, talvez seja necessário aumentar seus treinos.

“Arrume folhas, ande, jardine, vá para Zumba, jogue futebol com seus filhos. Não precisa estar na academia ”, diz Hairston.

Se você não estiver ativo agora, é uma boa idéia para verificar com o seu cuidados de saúde provedor antes de iniciar um novo programa de fitness .

2. Dieta:

Não existe dieta mágica para gordura da barriga. Mas quando você perde peso em qualquer dieta, a gordura da barriga geralmente vai primeiro.

Obter fibra suficiente pode ajudar. A pesquisa da Hairston mostra que pessoas que comem 10 gramas de fibra solúvel por dia – sem nenhuma outra mudança na dieta – acumulam menos gordura visceral ao longo do tempo do que outras. É tão simples quanto comer duas maçãs pequenas, uma xícara de ervilhas ou meia xícara de feijão.

“Mesmo se você mantivesse tudo o mesmo, mas mudasse para um pão com mais fibras, poderá manter melhor seu peso ao longo do tempo”, diz Hairston.

3. Sono

Obter a quantidade certa de olhos fechados ajuda. Em um estudo, pessoas que tem 6 a 7 horas de sono por noite ganhou menos gordura visceral ao longo de 5 anos, em comparação com aqueles que dormiam 5 ou menos horas por noite ou 8 ou mais horas por noite. O sono pode não ter sido a única coisa que importava – mas fazia parte da imagem.

4. Estresse

Todo mundo tem estresse. Como você lida com isso importa. As melhores coisas que você pode fazer incluem relaxar com os amigos e a família, meditar, exercitar-se para desabafar e obter aconselhamento. Isso deixa você mais saudável e melhor preparado para fazer boas escolhas.

“Se você pudesse ter tempo para fazer uma dessas coisas”, diz Shively, “o exercício provavelmente tem os benefícios mais imediatos, porque afeta tanto a obesidade quanto o estresse”.